Testamos o novo Final Fantasy XIV: A Realm Reborn, saiba como está seu renascimento | Portal Mosaico

Testamos o novo Final Fantasy XIV: A Realm Reborn, saiba como está seu renascimento

Final Fantasy XIV

Após nove meses do lançamento oficial do Final Fantasy XIV, o MMORPG no mundo da clássica série e subsequente do Final Fantasy XI, foi considerado um verdadeiro fiasco por toda sua confusão e mal acabamento, nem parecia ser um jogo da série.

O jogo apresentava uma interface bagunçada, um mapa sem vida. As batalhas eram totalmente fora de sincronia, lenta e ineficiente. parecia um jogo que não tinha saído das fases de testes. E enquanto a maioria dos MMOs tentam resolver seus problemas com patchs e atualizações, a Square Enix decidiu fazer diferente, fechou o seu servidor. Mudando toda a equipe, demitindo o diretor original e trazendo Naoki Yoshida (veterano da empresa), e tentando trazer um jogo totalmente novo corrigindo os erros da primeira versão.

E eis que nasce Final Fantasy XIV: A Realm Reborn!

Final-Fantasy-XIV-A-Realm-Reborn-Wallpaper-3

A Square Enix, ainda apreensiva com o novo lançamento, abriu um Beta para o público, tendo logo no começo mais de um milhão de inscrições, o que foi muito encorajador, mas talvez fosse apenas um monte de jogadores querendo ver sobre o que era todo esse rodeio. Além de fornecerem o teste tanto para PC quanto PS3, e mais, jogando nos mesmos servidores!

Fui selecionado para realizar o concorrido teste do Beta! Logo de cara, acontece uma animação em CGI de tirar o fôlego – como qualquer jogo da clássica série – o introduzindo para esse mundo e seu enredo. Após a animação, você é encaminhado para a criação do personagem, a qual é simples como qualquer outro MMO, mas com boas opções para atribuir seu personagem para uma seleção mais definida sobre qual classe pretende seguir. Começando o jogo pra valer, você já percebe como o cenário está mais vivo do que antes. Agora é possível ver vários elementos o que torna mais agradável de estar presente no cenário, além de ser um atrativo de explorar ainda mais o que o game pode oferecer nesse aspecto, agora com muito mais cara de Final Fantasy.

FFXIV - personagem

O início da jogatina é mais um complexo tutorial, mas ainda sim é bem prático e explicativo! Os controle são bem fluidos e não complica em nenhum aspecto. Claro que jogar um MMO em um console é um pouco mais complicado, mas a forma de abrir os menus, inventário, informações do personagem, mapa, é tudo bem simplificado, e pode ser mais prático ainda se você colocar as opções que você mais usa em uma “Hotbar” que fica embaixo da tela, podendo abrir com o simples clique de dois botões de seu controle.

Final Fantasy XIV_ A Realm Reborn - 01

A mesma forma vale para itens que mais utiliza, e para utilização de habilidades de ataque e magias. Essa forma fica muito fácil e útil nas batalhas, quais são um grande forte no jogo. Conforme aumenta de nível, você ganha novas habilidades e técnicas de combate abrindo um leque de opções e estratégias para vencer seus oponentes. O jogo também oferece inúmeras quests, podendo elas ser de um enredo que o game oferece, quests comuns que os personagens te oferecem, ou quests de sua classe que podem ser adquiridas por um NPC (personagem controlado pelo computador) chamado de “Levemete”. O “Levemete” oferece missões tanto de sua classe de combate, ou de seu “Job”. Isso mesmo, agora você também terá um “trabalho”, por exemplo, você poderá treinar carpintaria e aumentar seu nível para poder consertar os seus equipamentos sem que tenha que gastar Gils (dinheiro do mundo de Final Fantasy). O sistema de “Jobs” vai desde carpintaria à cozinheiro (podendo criar itens que aumentam suas habilidades temporariamente) mas são totalmente opcionais.

Outro sistema novo qual é muito interessante, é o sistema de “Fate”. É uma espécie de evento público que sempre ocorre no meio do mapa e qualquer um pode participar. Esse fornece certos objetivos que o grupo que está dentro da área do “Fate” deve realizar, dando altos bônus de experiência e Gil.

O jogo também apresenta uns “Logs” que são objetivos pré determinados de sua Classe ou “Job” para fazer e ganhar experiência. Por exemplo, o “Hunting Log” te dá uma lista de vários monstros que você deve caçar pelo mapa do jogo. É algo muito divertido de fazer, e dá bastante experiência, além de aumentar o nível de sua classe.

gaming_final_fantasy_xiv_screen_1

O seu amplo mapa (agora com um mini mapa fixo), é incrível de se explorar, cheio de monstros para caçar e ricos locais cheios de detalhes para observar.

As poucas horas que joguei, já foi suficiente para me agradar, e, apesar de ter todos os elementos de um MMORPG comum, esse parece te cativar de uma forma diferente, talvez por ser no mundo de Final Fantasy. Tem um mundo totalmente atraente para a exploração, um sistema muito legal de quests e “Logs” os quais não deixam você enjoar do jogo. Um sistema bem prático e eficiente de batalha deixa tudo muito mais atrativo. Quase não tive problemas com conexão, e tudo funcionou muito bem, inclusive sistemas de amigos e de “Party”. O game nem parecia ser uma versão Beta, talvez por estar próximo de seu lançamento.

Resumindo, Final Fantasy XIV: A Realm Reborn realmente renasceu, e veio pra ficar. É um game completo e não deixa você enjoar por todo esse mundo para se explorar. O jogo sairá para PS3 e PC no próximo dia 27 de agosto, mas há uma mensalidade para jogá-lo. Sabe se que sairá uma versão para o PS4 futuramente, e se você é fã da série, você deve jogar esse jogo, pelo menos enquanto o Final Fantasy XV não chega.

Imagens: Divulgação/Internet

Estudante de Contabilidade, amante de indie rock, rock alternativo, synth-rock e eletropop, viciado em video-games e afins. Frequenta a maioria dos festivais de músicas e outros eventos de cultura Geek de São Paulo e região. Um dos idealizadores do projeto qual se tornou no Portal Mosaico, do qual hoje é administrador e editor. Sempre acompanha tudo que é novidade no mundo dos jogos, músicas e tecnologia.

Posts Relacionados


Top