Saudades da surpresa da aleatoriedade | Portal Mosaico

Saudades da surpresa da aleatoriedade

play

O YouTube teve seu início em 2005, e desde então passou a ser a principal opção da internet para visualização de vídeos. Uma excelente invenção permitindo a acessibilidade imediata ao usuário a ampla disponibilidade de vídeos, além de permitir a qualquer usuário do planeta compartilhar, postar vídeos, sendo um ótimo veículo de divulgação para novos artistas.

Porém o que faz essa invenção ser excelente, faz dela ruim no tocante a surpresa do conhecimento de uma novidade musical (não necessariamente artista novo, mas a novidade no sentido de desconhecimento pessoal da existência de um artista, que existir há anos), já que a disponibilidade dos vídeos impede o conhecimento involuntário da novidade, o que é feito pelos canais de televisão que transmitem clipes musicais e rádios, assim como era antes da existência do YouTube.

O conhecimento de uma novidade musical pela televisão e pelo rádio, é baseado na aleatoriedade (não considerando os “jabás” de gravadoras, porque fica explícito o intuito voluntário da gravadora), por não ser pré programada pelo telespectador, assim causa a surpresa da novidade. Ocorre que com o YouTube, está acabando essa surpresa pela aleatoriedade e a expectativa de assistir o canal televisivo ansioso por uma novidade que não se espera.

Em determinados momentos, o YouTube passa a ser chato porque não se tem mais o que ver quando se quer novidade musical, a não ser que tenha disponibilidade de sair clicando em vídeos indicados pelo o próprio canal, mas ainda assim, depende do histórico de visitas virtuais de algum gênero para que o canal detecte o tipo de gênero e faça a indicação ( selecionando e indicando as mais famosas), e nisso não tem aleatoriedade, e nem versatilidade, já que existem pessoas que não gostam somente de um gênero musical, assim, conhecendo somente algumas novidades e no mesmo gênero musical; ou por indicação de amigos.

A mesma situação se aplica ao programa de filmes online NetFlix, já que há uma ampla opção de filmes a escolha do usuário, mas não ocorre a surpresa da novidade pela aleatoriedade quando se muda o canal e vê um filme (novo ou antigo) que já começou, e acaba atingindo o telespectador na essência juntamente com a surpresa do inesperado.

Essa pode ser a razão pela queda de qualidade da transmissão de canais como Mtv, em que trocaram a essência do canal que era transmissão de música pela televisão, para programas de entretenimento jovem, ficando os programas de novidades musicais com a transmissão cedo pela manhã (em alguns casos seis horas da manhã) e por um curto período de tempo (no máximo uma hora). Saudades da surpresa da aleatoriedade!

Eduardo Salles

Jornalista; idealizador, co-fundador, administrador e editor do Portal Mosaico; colunista do site musical Rock Noize (Coluna S&S); colunista do site esportivo Vida de atleta; Advogado; Membro efetivo da comissão de Direitos Autorais da Ordem dos Advogados do Brasil secção São Paulo; Professor de Filosofia e de Sociologia. Amante do estudo do comportamento humano, além de moda, games, música alternativa e suas vertentes dos anos 80 e 90, Synthpop/Eletropop, e o atual Indie rock. Instagram: lordsalles; [email protected]


Top